ARM na UNIFEI

A ARM visitou a Universidade Federal de Itajubá no último dia 18 de Setembro. Eles ficaram apenas um dia, no qual dois funcionários – um engenheiro de aplicações e um engenheiro de design – falaram sobre alguns temas, tais como: características dos processadores ARM, grupo de instruções, design do sistema, pipelines e um apanhado das ferramentas de desenvolvimento.

Joe Bungo

O prof. Dr. Otávio Carpinteiro e eu fomos almoçar com eles. Nesse tempo eu pude fazer algumas perguntas, por exemplo, por que uma unidade JTAG é tão caro? Bill me respondeu que não é necessário utilizar um JTAG de um fabricante específicos. Eu posso usar um JTAG “feito em casa“. O alto preço é devido a eletrônica para acelerar a comunicação.

Eu gostaria de enfatizar alguns pontos da apresentação:

  • Grupo de instruções 16-bit Thumb: uma grande conquista na briga por baixo consumo elétrico.
  • Jazelle: permite rodar o bytecode Java direto no processador (todos o processadores ARM com J no seu nome utiliza essa característica)
  • Barrel Shifter: uma técncia para aperfeiçoar a multiplicação por algumas constantes. (constantes 2^n +- 1 são multiplicadas com um ciclo de clock apenas)
  • AMBA (Advanced Microcontroller Bus Architecture): Uma arquitetura de barramento para comunicação muito interessante.

Com o objetivo de fomentar outros pontos de vista, recomendo ler um artigo publicado no  site Embedded.com intitulado Ten lies about microprocessors (Dez mentiras sobre os processadores) no qual o autor comenta assuntos como consumo de energia e o crescimento do processadores baseados em Java.

O modelo de negócios da ARM é outro ponto interessante. Eles não fabricam os processadores apenas licenciam a propriedade intelectual para um cliente (parceiro ARM) que então produz o chip. Mais informações aqui (em inglês).

Tiago Maluta, Joe Bungo, Bill, Otávio Carpinteiro

Os processadores ARM rodam em muitos dispositivos atuais tais como celulares e dispositivos portáteis para internet (MIDs). Uma curiosidade: na apresentação Joe Bungo arriscou dizer que o iphone roda onze processadores baseados em ARM (bluetooth, wi-fi, etc)🙂

Você pode fazer o download da apresentação aqui.

4 Respostas

  1. Maluta, obrigado por trazer esse evento pra nossa Universidade e proporcionar essa oportunidade única para os alunos terem um contato com as novidades nessa área. Muitos devem ter se sentido um pouco familiarizados com o tema, ao passo que, aqueles que nunca viram, receberam um pouco de motivação ao ver que existe um mercado forte por trás dos microprocessadores.

    Abraço

  2. Maluta,

    Queria muito ver dados de performance, em especial quando comparados com o Power Quicc II da Freescale. Eles falaram em algo assim ? Voc~e não tem um “canal” de comunicação para levantar isso ?

    Já notou que não existe NMI (interrupção não mascarável) no ARM ? Isto é, um evento do core ARM sempre é mais prioritário do que qualquer evento externo. Gostaria de saber a posição da ARM em relação a isto também.

    No mais, parabéns pelo evento !

    Marcelo

  3. Isso é que é palestra! =D
    Um grande obrigado novamente, Maluta.

    Abração!
    Maurício

  4. Estou lendo o livro “ARM Assembly Language” e curiosidade pesquisei sobre o autor, e lembrei a visita que a ARM fez na Unifei, bem … William Hohl veio aqui e pena eu não ter aproveitando tanto a palestra na época.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: